vou de taxi

24/07/2013

eu dou conversa pra todo mundo. faço esse tipo, assim, dada. quando entro num taxi, já dá pra sentir, na hora, se o cara vai ser um bom papo ou um mala. tem uns que nem respondem quando vc dá boa tarde. nesse caso, é melhor nem começar.

mas, em geral, eles são bons de papo e falam mais do que escutam, como fazem os dentistas. aliás, como falam os dentistas! eu ia a um que adorava contar piadas. agora me explica como é que se faz pra rir com a boca escancarada e anestesiada? um drama…

hoje entrei no taxi, vindo de uma gravação, na Barra. a ida demorou meia hora, a gravação, 10 minutos, um jingle pra Caixa, aquele velho “vem pra Caixa você também”, só que reloaded. na volta, neste inverno súbito e glacial, debaixo de chuva, fiz sinal e entrei no primeiro taxi que apareceu. motorista garotão, com pinta de surfista, cheio de palavrão e gíria na fala. começou falando que os jovens da JMJ não estão nem aí pra chuva e frio, já que adolescente acha tudo bom e que quem fica chato quando fica velho, sempre foi chato. em meio a mil teorias do tipo, ele fala:

– “meu enteado é um chato. tem 15 anos e já é velho. nao sai de casa pra nada, vive colado no computador e no video game. não quer nem namorar. moleque tem que ser criado na rua, pra ficar sabendo o que tem no mundo. ele não. ele puxou o pai, que é um chato, um babaca, paradão. o que eu acho é que esses garotos ficam o dia todo jogando game, e é por isso que depois fica tudo gay. quer dizer, alguns ficam, né? em vez de ir pra rua, pra ver mulher e ter vontade de namorar, não. ficam só  no game, só no game. acaba tudo viado”.

sem palavras, deixando o garotão levar a conversa, chegamos ao Leblon, onde salto, pensando: é… vai ser uma longa caminhada…

e tu? não quer?

01/05/2009

quando eu entrei no taxi , o motorista ligou o rádio e disse:

– tem um monte de cantora boa aí, sendo lançada…

– eu sou uma cantora boa, mas não estou sendo lançada – falei.

– é? não está sendo lançada por quê? não quer?

– é que eu tenho 20 anos de carreira, já tô mais que lançada.

– ah, é? e tu já foi no faustão?

– não, nunca fui.

– e vai dizer que tu não quer ir no faustão?

– não é isso. É que nem todo mundo tem a ver com o faustão. É possível ter uma carreira sem passar pelo faustão, sabe?

– mas vai dizer que tu prefere ficar assim, completamente desconhecida, em vez de ir no faustão? claro que tu quer ir no faustão, pô, o brasil inteiro quer ir no faustão, todo mundo te olhando, tu com aquele padrinhão… tu tem que arrumar um empresário, pra isso que serve empresário.  Se tu ganha, ele vai junto. Aí é que ele trabalha pra tu…

 

%d blogueiros gostam disto: