raro e comum*

01/04/2011

não quero ter trabalho pra descobrir preciosidades raras e ocultas. estou cansada. quero abrir a janela e dar de cara com os micos, a amendoeira, a brisa do mar misturada com a dama da noite, e delas me fartar. preciosidades explícitas, dadas a qualquer um. posso até me divertir com delícias raras e finezas, mas escolho me deleitar com aquilo que não custa nada e que jamais se modifica. Terra, água, fogo e ar, sexo, amor, gargalhada, emoção e conversa. E música, né?

*canção de Fred Martins,  que eu gravei no Amor de uns tempos pra cá

%d blogueiros gostam disto: