vida secreta

26/02/2012

deixo caladas muitas palavras, até bem bonitas, que não tenho onde botar, assim como mil músicas que fiz e não serviram pra nada. sendo assim, deixo que as palavras funcionem como um tipo de legenda pras fotos que tiro com meus olhos, muitos qps*,  que jamais revelo. e as músicas que canto por dentro, que faço e desfaço e, por desuso, acabo esquecendo, deixo que sejam a trilha sonora que toca em mim. de forma que, aqui dentro, é sempre cinema, é sempre poema, é sempre farsa.

*qps = quadros por segundo

sabe lá o que é morrer de sede em frente ao mar?

%d blogueiros gostam disto: