salto triplo*

22/11/2017

*escrevi este texto inspirada no show de mesmo nome, que faço com Elisa Queirós e Cacala Carvalho, só com nossas composições.

 

TENHO ASAS, POSSO MUITO BEM VOAR

CRUZAR MIL CORDILHEIRAS E DEIXAR

UMA CORRENTE QUENTE ME LEVAR,

PLANAR SOBRE AS CIDADES, FLUTUAR

DAQUI DE CIMA APRECIO A VISTA E PULO

BRAÇOS ABERTOS PARA A IMENSIDÃO DE TUDO

 

TENHO TERRAS A CONQUISTAR,

SOU UMA AMAZONA CAVALGANDO EM PELO,

DONA DE UM DESERTO DISTANTE E PERIGOSO,

CHEIO DE OÁSIS PARA DESBRAVAR.

PROVOCO TERREMOTOS E ABRO FENDAS

É DO MEU EPICENTRO QUE A VIDA BROTA

 

TENHO SETE MARES A SINGRAR

MERGULHO EM APNÉIA,

PESCANDO PÉROLAS EM CORAIS ABISSAIS,

RAINHA DAS ÁGUAS, SENHORA DAS MARÉS,

SEREIA QUE ENCANTA MARUJOS DO AMOR,

DESÁGUO EM SETE QUEDAS, SALTOS TRIPLOS

E SOU IARA, A DONA DA CACHOEIRA

 

EU TENHO A CENTELHA DO FOGO E ESPALHO A BRASA

TROVEJO, RELAMPEIO E CORTO O CÉU COM MEU FACHO DE LUZ

EU SOU AQUELA QUE CONDENSA E CHOVE,

NASCI EXUBERANTE DO LÓTUS, DA LAMA DOS LODAÇAIS

FEITO UM SOL, RAIO, ME PONHO, RECOMPONHO

E CHEIA DE ALVOROÇO, ALVOREÇO E SOLO

 

AGRADEÇO PELA GRAÇA ALCANÇADA

DAQUI DE ONDE VEJO É TUDO PLENITUDE

TODO PODER E GLÓRIA ME PERTENCEM

CAIO DENTRO DO MUNDO

COM UM SONHO NA CABEÇA, UM SORRISO NA BOCA

E ESSA CORAGEM NA MÃO

 

Respeitável público,

Descobri que ganhar dois minutos do dia de uma pessoa é a coisa mais difícil do mundo! Mas vcs, que já gastaram muitos minutos comigo, são diferentes. Então eu queria pedir pra vcs assistirem a esse video aqui, que demora só um cadinho mais que dois minutos:

A realidade é a seguinte: preciso de ajuda para levantar fundos pra lançar o meu CD Jamba, do qual vcs tanto já leram por aqui. O custo é altíssimo, mesmo pra fazer a mais simples das produções. Precisamos de R$!5,900. Tirando taxas e custo, sobram R$10 mil pra nós, pra pagarmos tudo o que precisamos, de equipe a material de divulgação. Juro que essa grana só dá pra saída.

Até agora, mais de 100 pessoas 

já colaboraram. Já atingimos mais de 50% do total, estamos otimistas e felizes com tantos colaboradores e repetidores, amigos que compartilham, arrecadam, torcem e botam fé. Só falta você para chegarmos a 100%. Temos apenas 15 dias pela frente até o fim do prazo, e o show está marcado para o dia 25 de maio, na Sala Baden Powell, Copacabana.
Para colaborar, basta você participar da nossa vaquinha virtual. Você entra neste link http://catarse.me/pt/jamba escolhe a quantia que quer dar e vê o que você vai receber em retribuição à sua ajuda. São CDs, ingressos para o show e outras coisas legais. Todos os valores são recompensados.
Qualquer quantia, a partir de R$10,00 é bem vinda e indispensável pra nós. No site, explicamos como funciona e como vamos empregar o dinheiro. A coisa toda é feita para ser fácil, mas se você preferir, pode me escrever para que eu possa tirar suas dúvidas.
Aqui tem duas críticas sobre o meu trabalho, pra provar que não é só a mamãe que gosta 😉
Crítica de Antonio Carlos Miguel, n’O Globo online http://g1.globo.com/musica/antonio-carlos-miguel/platb/2013/02/28/querido-diario/
Crítica de Beto Feitosa para o CD Jamba – http://www2.uol.com.br/ziriguidum/1302/130221-01.htm
O meu canto é uma missão, tem força de oração E eu cumpro o meu dever Há os que vivem a chorar Eu vivo pra cantar e canto para viver Há os que vivem a chorar Eu vivo pra cantar e canto para viver 
obrigada, queridos, muitos beijos com amor,

cantoras*

22/03/2011

cantoras sofrem. cantoras ficam inseguras. cantoras choram um pouquinho. cantoras sentem dobrado. cantoras sentem medo e confessam. cantoras carregam malas enormes mesmo para fazerem show na sua própria cidade.  cantoras erram e pedem pra parar o show e recomeçar a música. cantoras são intensas. cantoras querem ser amadas. cantoras adoram aplauso. cantoras fecham os olhinhos pra sentir melhor. cantoras amam que seu público simplesmente ame o que ela faz. cantoras são fofas.  cantoras não se importam com dinheiro. cantoras amam sobre todas as coisas do céu e da terra, cantar.

*minha homenagem ao/às cantor(as) do festival A Influência do jazz,  de cantores de música brasileira influenciados pelo jazz, que está rolando na Sala Baden, produção minha. eu “se identifiquei” com el(e)as…

Muita gente me pergunta o que escuto, em quem me inspiro, quais as cantoras que admiro.  Isso realmente não importa, nem qualifica ou desqualifica ninguém. É questão de gosto pessoal. Mas, como diz um amigo: Gosto É O QUE se discute. Então vamos discutir.

Tentando definir o que gosto num(a) cantor(a), cheguei a algumas reduções. Uma vez eu ouvi a Leny Andrade dizer, das profundezas de seus graves: “cantora é timbre”. Concordo. Timbre é assinatura e, como tal, é intransferível, inimitável. E sangue. Cantoras exangues e assépticas não mexem comigo. E intimidade. Tem gente que não se apodera da própria voz, como se a voz morasse do lado de fora. Cantora, pra mim, tem que ser dona da voz. Sobre domínio da afinação, coisa rara, tenho um especial apreço. Desafinação e semitonação só se for por conceito. E por fim, a cantora tem que servir à música. A voz é apenas a ponte por onde a música passa, de dentro, pra fora. E a cantora dá a cor, o tom, o perfume.

Para inaugurar nossa série, vou começar pela Leny Andrade, que recentemente me fez chorar durante um show inteiro e voltar no dia seguinte. Coisa que não me acontece nun-ca! Aqui, ela canta Ilusão à tôa, obra-prima de Johnny Alf, que morreu recentemente. Para degustar.

%d blogueiros gostam disto: