oversharing

26/10/2010

tenho certeza de que privacidade é um conceito que caducou com a internet. Quem viu, viu, quem não viu… nunca mais. Perdemos para sempre a noção da privacidade, conceito e valor. Definitivamente, o que era bom em segredo é muito melhor em público. Mas por que será que tenho a impressão de que essa comunicação é um empilhamento de monólogos sem feedback, onde os interlocutores podem ou não interlocutar, que dá na mesma, o que interessa é ter algo a dizer. A gente vai continuar postando detalhes de todos nós, para alguém ou ninguém ler, simplesmente porque dá a sensação de movimento, pq agora a vida tem que ser evidentemente legal e todo mundo precisa saber o quanto.

Perdi completamente a noção da vida sem essa exposição, pq tenho um pc desde os primórdios dos pcs, sempre estive em todas, nunca tive dificuldade com a linguagem de internet e fiz aquele percurso natural de descoberta, acompanhando como usuária, a evoluçao da própria tecnologia. Vi de perto o surgimento das redes de relacionamento, desde o tempo do icq, do irc, das salas temáticas de bate-papo, até o momento atual. Tenho tudo: orkut, FB, twitter, site, myspace, youtube e este blog.  Nunca desligo o computador e sinceramente nao acho que isso vá mudar, pq a cada dia fica mais natural ver o mundo via web. E sem a internet, atualmente, uma cantora não existe.

A internet faz pelas pessoas o que a TV fazia antigamente, entretém, só que com a programação à escolha, individual, disponível fulltime com o adicional da interatividade. Pensou em solidão? Pensou certo.

PS: Minha sobrinha, de 9 anos, outro dia resmungou: “Poxa, nunca recebi uma carta! Só da Caixa Econômica Federal!” Mandei a carta, recheada de recortes, cartões, fotos. Souvenir de tia, pra ela ver como era a vida no tempo da privacidade.

Anúncios

6 Respostas to “oversharing”

  1. maray said

    sabe, eu nem me incomodo (muito) quando posto alguma coisa no blog, orkut ou facebook ( por enquanto só esses, que mais não dou conta) e sei que pouca gente vai ler, se é que lê. O que me incomoda muito hoje é que mesmo ao vivo e a cores tenho sempre a impressão que as pessoas não prestam atenção. Pode ser que meu papo seja chato, mas essa será a última hipótese, é claro 😉

    Curtir

  2. maray, acho que é essa síndrome do monólogo. Ninguém tem saco pra conversar, só pra falar 😉

    Curtir

  3. madoka said

    sou boa ouvinte!
    ainda que sejam raras eu ainda escrevo cartas. Já dizia o poeta que, tem coisas que só falamos por cartas, portanto tem coisas que não estão sendo ditas.
    bjinhos

    Curtir

  4. madoka, amei isso: tem coisas que não estão sendo ditas!!!! que lindo!

    Curtir

  5. Luanda Cozetti said

    tchuca!
    na mosca!
    no secrets…e morro de rir das configurações de pirvacidade das pages…minha vida pela web é um link aberto…sem traumas!
    mas sabe que eu adoro receber cartinhas,e graças á uns amigos vintages que nem nós,o carteiro ainda bate a minha porta!
    te amo,por vc teclo loucamente!
    sua lulu!

    Curtir

  6. ah, lulu, então ponha-se a escrever uma carta pra mim, vou te mandar meu endereço e vc manda o seu!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: