talentos e destalentos

19/08/2010

Quando era bem novinha, na vida passada em que fui bailarina, eu dei muita aula de balé, pra baby class e adultos. Dei aula até de dança afro, que estranhamente psicodancei pra substituir a Dil Costa, minha professora interrompida por uma intempérie da vida.

Alongamento, alongamento em dupla, clássico, jazz e sapateado, minha especialidade!  Eu dançava super bem, tinha inteligência corporal, fluidez. Mas a vida toda no eterno engorda-emagrece-engorda, apesar de toda inútil neurolinguística, percebi que não tinha physique du rôle para o mercado da dança, que acabei abandonando, embora ainda ame dançar. E também, reparei que eu era uma má professora, burocrática, sem saco.

Como morei na Inglaterra, também dei aulas de inglês. Odiava com toda paixão.  Acho que os alunos também, porque eles, assim como os clientes da funerária, nunca voltaram. Depois que estudei música, fiz uma super formação para professores, na Pró-Arte, excelente para quem tem… talento para dar aula. Dei aula de musicalização em colégio, em pré-escola e até em creche. Toquei violão para bebês, no berçário. Metade chorava de medo, o resto, dormia. Precisada de ganhar a vida e pagar as contas, eu acordava aos prantos, na hora de ir pra creche, como se fosse enfrentar leões famintos. “Mas são apenas bebês!!!” – dizia meu ex, ao me ver acordar em pânico total, no dia de dar aula pras crianças que engatinhavam em volta de mim, no piso fofinho da creche. Tinha verdadeiro terror das crianças maiores, embora eu me entenda bem com crianças, em geral. Eu fantasiava que a diretora da escola ia entrar na sala, acompanhada de guardas, e gritar: “Prendam essa impostora!”

Resolvi dar aulas particulares. Nada como adultos escolhedores e interessados. Qual o quê! Meus alunos pagavam adiantado e sumiam! Eu era escalada pra bater papo, pra ouvir confidências, pra sair pra beber, até pra festa de seres andróginos eu fui convidada. Mas aula que é bom, nada! 

Em verdade, em verdade vos digo: odeio dar aula e sou péssima professora. Menor saco, menor entusiasmo. Recentemente, quando eu disse que não dou aula (de canto), ouvi: “Ah, é, sua egoísta? Quer o que sabe só pra si, né?” Fiquei bolada. Na tentativa de ressignificar conceitos, arrisquei novamente. Quem sabe, num novo momento? Água! A aluna sumiu depois da segunda aula. E eu encerrei esse capítulo da minha história, definitivamente. E é por isso que a alternativa nº1 de quem trabalha com música não é uma alternativa pra mim. Aí eu fui cozinhar. Mas isso já é outra história…

Anúncios

23 Respostas to “talentos e destalentos”

  1. Thaís said

    sabe que me deu vontade de fazer umas aulas com vc? beijoka.

    Curtir

  2. ahahahaah, thaís! tu é doida demais! rs

    Curtir

  3. maray said

    Andrea, não sabe como me identifico! Dei aula durante um ano, pra adolescentes. Foi maravilhoso como relações humanas e péssimo como didática. Não gosto de repetir nenhuma explicação. Já pensou isso num professor? Se alguém me pedia pra repetir, eu pensava: porra, já não disse isso? Não vou ficar dizendo sempre a mesma coisa”! Mas apesar disso só ficar entre eu e meu avental de professora, desisti depois de um ano. Não me peçam pra explicar nada. Eu confundo.

    abçs

    Curtir

  4. Yul said

    Eu passo por um problema semelhante, às vezes… Sou publicitário por formação, embora nunca tenha trabalhado na área efetivamente, apenas bicos… Sou apaixonado por fotografia, mas estou parada há quase dois anos, sem tirar muitas fotos… as pessoas me perguntam “mas, pq parou? Devia dar aula de fotografia!”

    Acho que, quanto mais a gente gosta de alguma coisa, menos chance de ganhar dinheiro com ela a gente tem… um hobby envolve paixão, e paixão não se mistura com dinheiro… é que nem casamento, envolveu dinheiro, ferrou tudo…

    Descobri teu site por acaso, e me identifiquei com ele. Isso está cada vez mais raro de acontecer, mas quando acontece, é um achado…

    Curtir

  5. Deia said

    Olha eu aqui novamente provando palavras… Adorei essa viagem sua sobre dar aulas. kkkkk, o máximo. mas sou obrigada a discordar. Lembro-me que ao entrar para a equipe do H a única pessoa que, muitas das vezes, tinha saco para me explicar alguma coisa era jsutamente você. Então… Obrigada teacher!!!!!!!!

    Curtir

  6. Elisa said

    Falar nisso, e aquele inesquecível bolo de tangerina cortado em losangos que por enquanto vou batizar de “nunca mais”? Tá na suuuuuuper época da tangerina, só pra lembrar 🙂 Mil beijos

    Curtir

  7. zoquinha, qq hora dessas, na sua cozinha, um pote cheio dele!

    Curtir

  8. ah, déia, isso não é coisa de professora, é coisa de colega, é diferente! bj, querida

    Curtir

  9. yul, que bom que vc se identificou, volte sempre! fotografe sempre, tb! beijo

    Curtir

  10. maray, e-xa-ta-men-te!

    Curtir

  11. madoka said

    taí, concordo com a Thaís, queria algumas aulas de música, violão? dança, inglês, putz quantas coisas legais vc sabe 🙂 maravilhosa.
    bjk
    madoka

    Curtir

  12. madoka, vc é outra doida, feito a thais! rs Se vc for ter aula comigo, certamente vamos acabar amigas e vc vai arrumar outra professora.. rs beijo

    Curtir

  13. Thaís said

    bora fazer um grupo de estudo das artes? a professora é a Andrea, claaro! e cada dia ela ensina uma arte diferente… hehehe

    Curtir

  14. ahahaha, thais, já tenho duas alunas, vc e a madoka. Mas a aula é aleatória, tá? a gente só descobre o assunto na hora! rs

    Curtir

  15. Thaís said

    combinado! vai ser terapêutico! ;o)

    Curtir

  16. madoka said

    alguém mais se habilita? a formar essa tchurma? rs. Putz com certeza ia bombar!!!!
    bjs

    Curtir

  17. thais e madoka, vamos fazer uma aula peripatética… rs a gente sai andando e falando inglês e cantando e dançando e tocando e cozinhando e escrevendo e lendo e fotografando. vai ser lindo! espero vcs, tá?

    Curtir

  18. Thaís said

    eu topo! e coloco nariz de palhaço! kkkkkkkkkkk

    Curtir

  19. thais, combinado! a gente sai andando pela orla, assim, palhaçando e tendo aulas incríveis! rs

    Curtir

  20. madoka said

    putz um oceano está nos separando, o que é a vida minha gente. Queria morar perto das duas, com certeza: fotos, caminhadas, artes,comidas, músicas… incríveis íamos topando pelo caminho.
    beijinhos nas duas

    Curtir

  21. madoka, o que vc faz aí?

    Curtir

  22. carlucho said

    Esses seus alunos e/ou alunas não sabem o que perderam. Agora: as crianças muitas vezes assustam mesmo.E sabe porquê? Porque elas têm pai ,mãe,avó….Eu nunca atendi criança por isso. Não tem poder mínimo para decidir.Aí ,quando as coisas melhoram ,ou seja, a tal criança passa a andar com as próprias pernocas ou passa a revelar as perversões mais comuns,porque infantis, (Só um pouquinho)eles retiram o pimpolho da análise.É muito frustrante.
    Beijo,0.2. Ah! E esse bolo aí mencionado pela nossa querida Elisa? Eu sou ciumento hein!!…Você bem sabe.

    Curtir

  23. querido, como diz uma amiga: nasceu, 5 anos de análise. gostou da mae, 10 anos. nao gostou 30 anos… rs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: